terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Dom Luiz e Dom Bertrand de Orleans e Bragança assistem a Missa de Natal, em São Paulo

Dom Luiz durante o brinde: coquetel contou com a presença de Dom Bertrand e Dom Gabriel de Orleans e Bragança, além de amigos e colaboradores como o Dr. José Guilherme Beccari, Sr. Oswaldo e Sr. Hayley Rocco, Dr. Ciro D'Avino, Sr. Guilherme de Faria Nicastro, entre outros
Imagem: Facebook da Pró Monarquia


Depois de receber no último dia 16, amigos e colaboradores, para um coquetel, na noite do dia 24 de dezembro, S.A.I.R., o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil, acompanhado de seu irmão, o Príncipe Imperial Dom Bertrand, assistiram Missa de Natal, celebrada no rito extraordinário da Santa Igreja.




 Os Príncipes Dom Luiz e Dom Bertrand assistem a Santa Missa em São Paulo
Imagens: Paulo Roberto Campos com exclusividade 
para o Blog Monarquia Já, graças a Pró Monarquia


Muitos monarquistas acompanharam a celebração na igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo, na cidade de São Paulo. O belo e histórico templo é o mais antigo da capital paulista em sua edificação original, remontando à primeira metade do século XVII.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Mensagem de Natal do Chefe da Casa Imperial do Brasil, S.A.I.R., o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança

O Príncipe Dom Luiz Gastão de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil, envia sua mensagem de Santo Natal e Próspero 2015 aos cidadãos Brasileiros:

S.A.I.R., o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança

GLORIA IN EXCELSIS DEO.
ET IN TERRA PAX HOMINIBUS BONAE VOLUNTATIS!

Belém, pequena cidade localizada entre vinhedos e olivais, na Judéia, viu nascer, em tempos imemoriais, o grande rei David, o ungido do Senhor, que recebeu mesmo, segundo as Sagradas Escrituras muitos dons, como o da música, da poesia e dos salmos. A este mesmo local, séculos mais tarde, haveriam de chegar dois descendentes de sua real estirpe, Maria e José, a fim de cumprirem as exigências do imperador César Augusto. Ordenou ele o primeiro recenseamento do Império Romano, impondo a todo chefe de família ir alistar-se em sua cidade de origem. Maria, prestes a dar à luz, acompanhou José em penoso percurso desde Nazaré, sobre um burrico. Lá chegando, devido ao grande acúmulo de viandantes, não encontraram hospedagem e, batendo de porta em porta, ninguém lhes deu abrigo. Maria pressentia que o nascimento de seu Filho estava próximo. Era noite, fazia frio. Foi-lhes então indicada uma gruta transformada em estábulo, onde jamais entrara um raio de sol. À luz de uma lanterna, o casal viu que tudo estava asseado. De um lado notava-se uma vaquinha, a que se juntou o burrico, e de outro uma manjedoura. Estava assim composto o cenário para o maior acontecimento da História, o nascimento do Menino-Deus, o Rei dos Reis.

Quanta lição nos é transmitida nesta singela e ao mesmo tempo grandiosa narrativa! E é com o espírito elevado aos céus, e de joelhos diante da representação da mesma cena, o Santo Presépio, que rogo à Sagrada Família - Jesus, Maria e José - esteja neste Natal presente no coração de cada brasileiro, especialmente dos monarquistas, para que se beneficiem das mesmas graças daquela noite esplendorosa. E que a Luz do Menino Jesus, durante 2015, ilumine os nossos passos na caminhada determinada e sempre confiante que é o dever de todo cristão, ainda quando em tempos adversos.

Dom Luiz de Orleans e Bragança

Santo Natal e um Ano Novo abençoado

O Blog Monarquia Já deseja a todos os leitores, colaboradores e amigos um Santo Natal e um Ano Novo abençoado. 

Presépio encomendado por S.M.F., a Rainha Dona Maria I, a Joaquim Machado de Castro, 
para a Basílica da Estrela, em Lisboa, Portugal


Acompanhe as atividades do Movimento Monárquico e da Família Imperial Brasileira, conheça as propostas que visam restabelecer a dignidade nacional e contribua para restauração da Monarquia no Brasil.  Continue nos visitando em 2015!

Nascimento do Conde Louis Bernhard, filho dos Condes de Stolberg-Stolberg

Dona Graça, Dom Fernando e Dona Isabel, o Conde Alexander, a Condessa Jacqueline e o Conde Franz Joseph de Stolberg-Stolberg, durante o casamento em 2009.
Imagem: Blog Monarquia Já


Nasceu em Bruxelas, no dia 16 de dezembro de 2014, o Conde Louis Bernhard Josef Maximilian Diniz  Rafael Nuno Karl Pius Baudouin Maria, filho de Dona Isabel de Orleans e Bragança e do Conde Alexander, Conde e Condessa de Stolberg-Stolberg.

Diretamente da Europa, o Conde Alexander explica os nomes: 

Louis - em português Luís - em homenagem a São Luis, Rei da França, grande Santo e modelo de Chefe de Estado, do qual os pais descendem e que inspirou o nome do atual Chefe da Casa Imperial do Brasil, S.A.I.R, o Príncipe Dom Luiz, tio-avô do pequeno Conde. Nome igualmente alusivo ao Beato Louis Martin, pai de Santa Teresa de Lisieux - Santa pela qual o casal possui grande devoção. O nome, seguindo a tradição, também homenageia a Princesa Dona Luiza, irmã de Dona Isabel, que será madrinha da criança.

Bernhard - em português Bernardo - homenagem a São Bernardo de Claraval (em alemão St. Bernhard), Monge Cisterciense, grande reformador da Ordem. Autor do "Tratado do Amor de Deus", redator do belíssimo hino "Ave Maris Stella" e, por sua clareza teológica, nomeado Doutor da Igreja. 

Josef - em português José - uma homenagem ao avô paterno, S.A.I., o Conde Franz, se refere também a São José, o esposo da Mãe de Deus, Padroeiro da Igreja Universal.

Maximilian - em homenagem ao tio e padrinho, o Conde Maximilian de Stolberg-Stolberg.

Diniz - segundo dos oito nomes do Príncipe Dom Fernando de Orleans e Bragança, avô paterno. Faz referência ao Rei Dom Diniz I, 6º Rei de Portugal, Soberano sábio, culto e dedicado, do qual a criança descende.

Rafael - o Arcanjo - nome tradicional dos Bragança [Miguel Gabriel Rafael Gonzaga], também nome do primo de Dona Isabel, o Príncipe Dom Rafael de Orleans e Bragança, que será o futuro Herdeiro do Trono Brasileiro. São Rafael Arcanjo também é devoção do Conde Alexander.

Nuno - referência a São Nuno de Santa Maria, o Santo Condestável de Portugal. Grande homem que defendeu o território e a nacionalidade portuguesa, ajudou a fundar a Dinastia de Bragança. 

Karl - em português Carlos - uma homenagem ao Beato Carlos da Áustria, último Imperador daquele país e Rei da Hungria, que teve vida familiar e política exemplares. O Conde e a Condessa de Stolberg-Stolberg noivaram na data da festa litúrgica do Beato Carlos, em 2008.

Pius - em português Pio - São Pio de Pietrelcina, Padre Santo, de grandes virtudes, Confessor e Conversor. 

Baldouin - em português Balduíno - homenagem ao Rei Balduíno da Bélgica, modelo de estadista do século XX, temente a Deus e fiel a Igreja. 

Maria - a Santíssima Virgem, Mãe de Nosso Senhor. Desde 1800, tradicionalmente o último nome dos membros da Família Stolberg-Stolberg em forma de agradecimento pela conversão ao Catolicismo (Pentecostes de 1800)

O pequeno Conde Louis é neto, por seu pai, dos Condes Franz Joseph e Jacqueline de Stolberg-Stolberg, de Casa de antiga nobreza da Europa, tendo antepassados que já permeavam a história desde 1200, (maiores detalhes sobre a genealogia da Família Stolberg-Stolberg, aqui). Por sua mãe, é neto do Príncipe Dom Fernando e da Princesa Dona Maria da Graça de Orleans e Bragança, sendo portanto, o 15º bisneto do Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança (1909 - 1981), Chefe da Casa Imperial do Brasil (1922 - 1981) e da Princesa Dona Maria de Orleans e Bragança (1914 - 2011), nascida Princesa da Baviera. 

Dona Isabel, Condessa de Stolberg-Stolberg, e o filho, o Conde Louis, passam bem e são auxiliados pela avó, a Princesa Dona Maria da Graça, muito orgulhosa com nascimento do primeiro neto.  

domingo, 21 de dezembro de 2014

Dona Christine de Ligne de Orleans e Bragança concede entrevista ao "Herdeiros do porvir"

Acaba de chegar a casa dos brasileiros a 39ª edição do boletim Herdeiros do Porvir.



Na capa, a Princesa Dona Christine de Ligne de Orleans e Bragança que concedeu uma interessante entrevista à publicação, onde fala da infância em Beloeil, do casamento, dos filhos e da vida no Brasil. Por sua elegância, refinamento e educação, mostra a grandeza de autêntica dama e exemplo de Princesa. Durante a entrevista também conta com foi seu voluntariado na Índia, seu trabalho com crianças necessitadas e, sobretudo, com as deficientes.

Ainda no boletim, as viagens de Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil, e detalhes do XXIV Encontro Monárquico Nacional, ocorrido em setembro, no Rio de Janeiro. 

Herdeiros do Porvir elogia o Blog Monarquia Já, referindo que é "sem dúvida, um dos mais atuantes e atualizados na especialidade". Durante o Encontro, o editor do Blog Monarquia Já foi convidado a proferir duas conferências: "Homenagem a SAIR, a Princesa Dona Maria Elisabeth de Orleans e Bragança: cem anos do nascimento, 66 anos de devotamento ao Brasil" e "A presenças das lideranças novas".       

Por fim, Dr. José Guilherme Beccari, em sua coluna trimestral "Coisas da República", faz uma brilhante análise política.

Confira. Solicite o Boletim Herdeiros do Porvir através do link FALE CONOSCO, em http://www.monarquia.org.br/-/faleconosco.asp ou pelo e-mail monarquia@monarquia.org.br e saiba tudo sobre a Monarquia no Brasil.  

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Faleceu a Rainha Fabíola da Bélgica

Faleceu no Palácio Real de Laeken, no dia 5 de dezembro de 2014, aos 86 anos de idade, a Rainha Fabíola da Bélgica.




Nascida Doña Fabiola Fernanda María de las Victorias Antonia Adelaida de Mora y Aragón, em 11 de junho de 1928, no Palácio Zurbano, próximo a Madri, era a sexta dos sete filhos de Don Gonzalo de Mora y Fernández y Riera y Del Olmo (1887-1957), 4º Marquês de Casa Riera, 2º Conde Pontíficio de Mora, Grande de Espanha, e de Doña Blanca de Aragón y Carrilho de Albornoz y Barroeta-Aldamar y Elío (1892-1981), Marquesa de Casa Torres, Viscondessa de Baiguer. Sua madrinha era a Rainha Victória Eugenia da Espanha, pertencia, portanto, a uma família da alta nobreza da Espanha, fiel ao Papado e reconhecida pela prestígio social, intelectual e político. 

A Rainha Fabíola
Imagem: reprodução

Foi educada privativamente e desde a infância teve como base os valores morais e religiosos que nortearam sua vida. Muito inteligente e intelectualizada, na juventude publicou um pequeno livro de "contos de fadas" - Los doce cuentos maravillosos, com que ganhou um prêmio, sendo reconhecido na exposição do pavilhão da Holanda, em 1966. Muito caridosa e justa, diplomou-se enfermeira, ajudando as forças militares e os desvalidos de sua pátria. 

Em 1960, Dona Fabíola se casou com o Rei Balduíno da Bélgica, aclamado em 1951, pela morte do pai, o Rei Leopoldo III.  Foi, por 30 anos e até a renúncia do marido, em 1990, a Rainha dos Belgas. O Rei Balduíno exerceu governo exemplar e apesar de ter passado por vários percalços, conseguiu unir os cidadãos belgas, divididos cultural e linguisticamente. Depois de garantir a estabilidade econômica e a Soberania da Bélgica pós II Guera Mundial, em 1990, renunciou ao Trono por se recusar a assinar a lei que legalizava a prática do aborto. Os Reis não tiveram filhos e a sucessão foi garantida pelo Rei Alberto II, irmão do Rei Balduíno.


O Rei Balduíno e a Rainha Fabíola 
Imagem: reprodução


Depois da morte do marido, em 1993, a Rainha Fabíola, passou a ser titulada como Rainha da Bélgica e passou a residir no Castelo de Stuyvenberg, próximo ao Palácio Real de Laeken, vivendo exclusivamente para a caridade e para o serviço da Bélgica quando representava seus cunhados em eventos ou ocasiões oficais. Era benemérita de diversas associações e  idealizadora de Fundações que garantem o sustento de milhares de crianças e jovens, além do fomento da cultura, das artes e da fé católica. 

Por suas atitudes - sempre exemplares, sua força - sempre característica, e sua convicção católica - sempre inspiradora, foi muito querida pelo povo da Bélgica. Foi celebrizada através de monumentos, nomes de ruas, plantas. As Montanhas Rainha Fabíola, na Antártica, por exemplo, são uma homenagem a Soberana. 

Tantas virtudes favoreceram a aproximação da Família Imperial do Brasil, tanto pelo parentesco, quanto pelas atividades sociais. A Princesa Dona Maria, de jure Imperatriz Mãe do Brasil, mãe do atual Chefe da Casa Imperial, o Príncipe Dom Luiz, em visita a Europa, costumava passar agradáveis tardes no Palácio Real de Bruxelas ou de Laeken, com a Rainha. Em 1965, quando a Rainha Fabíola e o Rei Balduíno visitaram o Brasil, num memorável jantar oferecido no Itamaraty, os jornais da época elogiavam a elegância do jovem Príncipe Dom Pedro de Alcântara - filho de Dom Pedro Henrique e Dona Maria, que havia vestido uma bela casaca para a ocasião. A proximidade da Família Real Belga com a Família Imperial do Brasil é marcante também pelos laços que os Príncipes brasileiros construíram na Bélgica: Dona Eleonora se casou com o Príncipe Michel, 14º Príncipe Titular de Ligne e Dom Antonio com Dona Christine. A Casa de Ligne constitui uma das famílias mais respeitas da Europa e na Bélgica fica abaixo apenas da Família Soberana.

Membros da Família Imperial do Brasil estiveram nos funerais da Rainha Fabíola. A Princesa Dona Maria da Graça, esposa do Príncipe Dom Fernando de Orleans e Bragança, acompanhada da filha, Dona Isabel, e do genro, o Conde Alexander de Stolberg-Stolberg estiveram presentes a Missa solene de Requiem.  


S.A., a Princesa Dona Maria da Graça de Orleans e Bragança e S.A.I., o Conde Alexander de Stolberg-Stolberg 
Imagem: exclusividade do Blog Monarquia Já

S.S.A.A.I.I., o Conde e a Condessa de Stolberg-Stolberg
Imagem: exclusividade do Blog Monarquia Já


Representando a Família Principesca de Ligne, a Princesa Dona Eleonora, nascida Princesa de Orleans e Bragança, e o Príncipe Michel também estiveram presentes nas exéquias da Rainha.


O Príncipe e a Princesa de Ligne recebem a comunhão
Imagem: RTB


O Cardeal Godfried Danneels, Arcebispo Emérito de Mechelen-Bruxelas e Primaz da Bélgica, celebrou Santa Missa na Catedral de São Miguel e Santa Gúdula, o féretro foi levado à Igreja de Nossa Senhora de Laeken, onde celebrou-se outra Missa em sufrágio da alma da Rainha, sendo sepultada na Capela Real do Palácio.  Além dos membros da Família Imperial do Brasil e da Família Principesca de Ligne, assistiram o funeral os atuais Reis dos belgas, da Holanda, da Dinamarca, da Noruega, da Holanda e da Tailândia, a Imperatriz do Japão, os Grãos-Duques Hereditários de Luxemburgo, os Reis Alberto e Sofia da Bélgica, a Princesa Beatriz da Holanda, O Rei Dom Juan Carlos e Dona Sofia da Espanha, representantes da Rainha do Reino Unido da Grã-Bretanha, dos Reis da Suécia, dos Príncipes de Liechtenstein, além do corpo diplomático, de representantes da Igreja e do povo, que numa incansável demostração de afeto, lotou a frente da residência real e encheu as ruas durante o cortejo fúnebre.  


Reis e Rainha de todo o mundo chegam para os funerais da Rainha Fabíola
Imagem: reprodução 


A Imperatriz do Japão
Imagem: reprodução

A Rainha Matilde, comovida, é amparada pelo marido, o Rei dos Belgas
Imagem: reprodução

A Rainha ampara os filhos. O Príncipe Emanuel chora a perda da tia querida
Imagem: reprodução


A saída da Igreja de São Miguel e Santa Gúdula
Imagem: reprodução

As demonstrações populares de afeto e admiração
Imagens: reprodução



           

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Príncipe Imperial participa de encontro com jovens em Ribeirão Preto

Evento reuniu jovens que defendem a monarquia; Dom Bertrand Maria José de Orleans e Bragança também visitou a região.

Por Juliana Rangel - Jornal A Cidade - 11/12/2014

Dom Bertrand, com a juventude, pelas ruas de Ribeirão Preto
Imagem: Murilo Corte / Especial 


Sua realeza

Ribeirão Preto recebeu ontem a visita de um príncipe da família real. O trineto de Dom Pedro II, Dom Bertrand Maria José de Orleans e Bragança (centro da foto), esteve na cidade para um encontro com jovens que defendem a monarquia. Ele também quis conhecer o Centro Cultural Palace. O segundo na linha de sucessão do trono também passou por Sertãozinho, onde gravou um programa sobre agronegócios para o Canal do Boi.

Em defesa

Agronegócio é um dos temas de suas palestras, ministradas por todo o Brasil. “Defendo o direito de propriedade, a agricultura, mostro o quanto o Brasil tem ganhado com o agronegócio num momento em que uma crise econômica atinge o mundo e o Brasil só não tem maiores problemas graças ao agronegócio”, disse Dom Bertrand. Ele é autor do livro “Psicose Ambientalista”, polêmico por criticar a atuação de ambientalistas no País.

Indo bem

Sobre o seu livro, o príncipe comemorou o sucesso de vendas. Lançado em 2012, a obra técnica já está na quarta edição, com 25 mil cópias vendidas. “Por ser um livro técnico, tem que se considerar que a média de venda é de 2 mil exemplares e já vendemos 10 vezes mais. Um sucesso não meu e sim dos brasileiros, que se interessam pelo assunto”, disse à coluna.

______________

Nota do Blog Monarquia Já:

A Prefeitura de Ribeirão Preto também noticiou, através de sua página no Facebook, a visita do Príncipe Dom Bertrand: 

"RIBEIRÃO REAL

Dom Bertrand Maria José de Orleans e Bragança, príncipe titular de Orleans e Bragança, esteve na região de Ribeirão Preto para uma entrevista que tratou sobre agronegócio. Em um encontro informal, o Príncipe se reuniu com a prefeita Dárcy Vera, no Palácio Rio Branco.

Foto: JF.Pimenta"

S.A.I.R., o Príncipe Dom Bertrand com a Prefeita Dárcy Vera 

A Prefeita de Ribeirão Preto com Dom Bertrand de Orleans e Bragança, entre os membros da comitiva do Príncipe as ilustres presenças do Sr. Hélio Brambilla e do Dr. Nelson Barreto 

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Os 50 anos da "Turma do Príncipe"

Dom Bertrand, ao centro, foi homenageado pelos 50 anos de formação acadêmica
Foto: divulgação OAB SP 

O Brasil vivia uma efervescência política e ideológica. Subversivos, treinados em Cuba e financiados pela URSS, tentavam tomar o poder. A população clamava por auxílio e o Brasil estava prestes a mergulhar em mais uma das grandes crises da república.  Foi neste cenário que, em 1964, formou-se na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo, S.A.I.R., o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança. 

Os tempos eram outros. Uma juventude altamente politizada e culta fazia parte das faculdades da Universidade de São Paulo. Eram comuns os debates entre direitistas e esquerdistas, conservadores e progressistas, revolucionários e contrarrevolucionários. Dom Bertrand, na época um jovem Príncipe de 24 anos, já combativo e brilhante em suas ideias, liderava um grupo de estudantes que ficou conhecido como a "Turma do Príncipe".  

Tamanha ebulição na sociedade, gerada pela ineficiência do governo de João Goulart e a constante ameaça de grupos socialistas e comunistas de tornar o Brasil uma sucursal da União Soviética, fez com que o povo fosse as ruas pedir intervenção militar, ocorrendo o ato que ficou conhecido como "golpe de 1964", marcando o país definitivamente. 

Para comemorar os 50 anos de formatura, a Ordem dos Advogados do Brasil, Secional de São Paulo, juntou os formandos de 1964 para uma homenagem. Durante o evento, destacou-se a presença do Príncipe Imperial do Brasil, que dentre os membros da turma permanece inabalável em sua luta na defesa da vida, da família, da tradição, da propriedade privada e da dignidade humana, aspectos marcantes em sua biografia desde a juventude. 

Dom Bertrand de Orleans e Bragança visita São João da Barra, no Rio de Janeiro

Depois de voltar de  Fortaleza, onde cumpriu extensa agenda, que incluiu discurso em "trem elétrico" para milhares de pessoas, além de participação em eventos de valorização da vida, o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança visitou a cidade de São João da Barra, no Rio de Janeiro, repetindo um gesto do seu trisavô, o Imperador Dom Pedro II, que lá esteve em 1847.

O Prefeito de São João da Barra, José Amaro Martins de Souza, e o Padre Marcos Paulo Pinalli da Costa recebem o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança
Imagem: divulgação


Recebido por autoridades civis e religiosas, Dom Bertrand foi aclamado também pelo Prefeito José Amaro Martins de Souza, que destacou o orgulho da cidade em receber o segundo na linha de sucessão ao Trono do Brasil. 

Dom Bertrand foi convidado a proferir uma palestra intitulada "Monarquia e Igreja" e deu declarações a imprensa local, onde referiu "Não conheço um brasileiro que diga, de boca cheia, que a República deu certo no país. Dizem que este sistema de governo é melhor porque o povo elege seu representante. Mas, numa eleição nós não escolhemos nada: o que fazemos é optar por alternativas que os partidos políticos oferecem. Os custos das eleições são astronômicos, resultando em episódios como mensalões, petrolões e tudo o que a gente não fica sabendo. E todo esse dinheiro sai do bolso do povo."

Ao término da palestra, o Príncipe completou: "Está muito mais fácil falar atualmente com os jovens sobre monarquia, do que há alguns anos. Esperamos que o Brasil volte a ser um país honesto. Vivemos num país que possui a maior área cultivável e o melhor clima do mundo, além de um povo bondoso e afetuoso. Vou terminar a palestra lembrando o filósofo Sócrates, que, respondendo a pessoas que gostariam de saber como alguém poderia voltar a ser feliz, disse que bastaria apenas que essa pessoa fizesse o que fazia no tempo em que era feliz". 

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Museu Imperial comemora o 189º aniversário de d. Pedro II


Na próxima sexta-feira, dia 05 de dezembro, o Museu Imperial comemora o 189º aniversário de d. Pedro II. Com objetivo de reviver a tradição iniciada em 1839, quando as reuniões da Instituição ocorriam na residência oficial do Imperador D. Pedro II, o Paço de São Cristóvão, uma comitiva formada por pesquisadores do IHGB subirá a serra para a 6ª sessão do Centro de Estudos e Pesquisas Históricas no Palácio Imperial de Petrópolis, residência favorita do imperador, e que hoje abriga o Museu Imperial. O evento que terá início às 14h30 contará com membros do CEPHAS/IHGB, do IHP, da Família Imperial, autoridades, convidados e interessados.

Na ocasião, será realizada palestra do sócio do IHGB Luiz Felipe de Seixas Corrêa, que foi Cônsul do Brasil em Nova York e Embaixador na Alemanha e Itália, com o título: O marquês de Paraná: seu papel na política interna e na política externa do Império.



Museu Imperial/Ibram/MinC
Endereço: Rua da Imperatriz, 220 – Centro – Petrópolis, RJ
Telefones: (24) 2233-0300 / (24) 2233-0360
E-mail: mimp.faleconosco@museus.gov.br
Site: www.museuimperial.gov.br
Twitter: @museuimperial
Facebook: www.facebook.com/museuimperial

ATENÇÃO


Em caso de cópia do material exposto: considerando a lei 9610/98, o plágio é crime. As obras literárias e fotográficas existentes neste espaço são de uso exclusivo do Blog Monarquia Já. Ao copiar qualquer artigo, texto, fotografia ou assemelhado, o Blog Monarquia Já deve, obrigatoriamente, ser citado.

Contador de visitas mundial


contador gratis

Contador de visitas diárias


contador gratis

  © Blogger template 'Isfahan' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP