domingo, 19 de junho de 2016

"O casamento do ano"

Num casamento para mais de 800 convidados, oficiado pelo Bispo de Tournai, na presença de Soberanos, Chefes da Casa Reais, Príncipes, Arquiduques, a Princesa Alix de Ligne casou-se com o Conde Guillaume de Dampierre.

Como antecipou o Blog Monarquia Já, a festa foi no Castelo de Beloeil e se integrou aos belos jardins. A Rainha Matilde, na impossibilidade do Rei Filipe comparecer (por estar num compromisso), esteve na festa para felicitar os noivos.

Na noite que antecedeu ao casamento, foi oferecida a tradicional recepção ao convidados.

Centenas de pessoas foram as ruas para acompanhar a celebração e as festividades. Beloeil esteve em festa para o casamento do ano. 

Veja as fotos:

O JANTAR DE RECEPÇÃO 

O Príncipe Henri de Ligne, o Conde Guillaume de Dampierre, a Princesa Alix, a Princesa Dona Eleonora e o Príncipe Michel de Ligne
Imagem: Chateâu de Beloeil

O Conde e a Condessa Audoin de Dampierre, os noivos, os Príncipes de Ligne, atrás, as irmãs e o cunhado do Conde Guillaume e o Príncipe Henri de Ligne
Imagem: Chateâu de Beloeil 


O CASAMENTO

O Príncipe Michel leva a Princesa Alix até o altar
Imagem: Daily Mail 

Imagem: Daily Mail 

Os noivos 
Imagem: Place Royale

Imagem: Place Royale

O livreto da cerimônia
Imagem: Valentin Dupont / Noblesse et Royautés

Os noivos, na saída da igreja de São Pedro
Imagem: Daily Mail

Imagem: Daily Mail

A Grã- Duquesa Maria Teresa e o Grão-Duque Henri do Luxemburgo
Imagem: Daily Mail  

A Grã-Duquesa e o Grão-Duque Herdeiro do Luxemburgo
Imagem: Daily Mail

O Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil
Imagem: Valentin Dupont / Noblesse et Royautés


A Princesa Maria Laura da Bélgica
Imagem: Place Royale

O Príncipe Jean de Luxemburgo 
Imagem: Place Royale

A Princesa e o Príncipe Felix de Luxemburgo
Imagem: Place Royale 

A Princesa Margaretha do Liechtenstein e sua filha
Imagem: Place Royale 

O Príncipe Jean Cristophe de Napoleão
Imagem: Place Royale

A Princesa Dona Eleonora, os noivos, o Príncipe Michel, a Rainha Matilde da Bélgica e o Conde Audoin de Dampierre
Imagem: Chateâu de Beloeil

A Família Principesca de Ligne 
Imagem: Chateâu de Beloeil


Veja mais notícias em:





sexta-feira, 17 de junho de 2016

Beloeil: o Príncipe e a Princesa de Ligne casarão sua filha Alix, neste fim de semana

As vésperas do casamento da Princesa Alix de Ligne com o Conde Guillaume de Dampierre, as agências de notícias da Bélgica noticiam detalhes da cerimônia. Para o enlace são aguardados 800 convidados. 

Confira a notícia do jornal "RTBF": 

Por RTBF, em 17 de junho de 2016
Tradução do Blog Monarquia Já

Beloeil: o Príncipe e a Princesa de Ligne casarão sua filha Alix, neste fim de semana

O Príncipe e a Princesa de Ligne casarão sua filha Alix, neste fim de semana em Beloeil
Imagem: © Belga - Herwig Vergult


Efervescência no Castelo de Beloeil, onde acontecem os preparativos finais para comemorar, neste fim de semana, o casamento da Princesa Alix de Ligne com o Conde Guillaume de Dampierre.

O casal reside no Brasil, no Rio, onde trabalham. A Princesa trabalha com joias, ela é Gerente de Marketing da marca de luxo H. Stern, enquanto seu futuro marido trabalha na área das finanças.

O casamento será na casa da família em Beloeil, onde residem os pais de Alix, Príncipe Michael de Ligne e a Princesa Eleonora de Orleans e Bragança. Mas antes do casamento religioso que será celebrado neste sábado, às 13h, na igreja ao lado do Castelo, o casamento civil, será nesta sexta-feira, às 14h no cartório de Beloeil.

Um canteiro de flores

Na quinta-feira, quando empurramos a porta da igreja, nosso olhar foi imediatamente capturado pelos gradientes de cor sutis do canteiro em que estava sendo construído. É Maria, uma amiga da família Ligne, que lida com os buquês de hortênsias, rosas e lisianthus em cor creme, tudo em tom pastel, que se alinham a entrada de edifício religioso. "Eu perguntei à Princesa o que ela gostava, queria um tom muito claro, creme, permanecemos em um tema de jardim".

E como resultado: centenas de flores perfumam a igreja, dando trabalho a toda a equipe de seis professores do ramo. A Princesa Eleonora de Ligne, mãe da noiva, veio olhar o progresso do trabalho, parecendo gostar: "É muito bonito, foi a noiva que escolheu as cores, as flores, ela adora estes cores pastel".

Esta marcante presença de flores também se origina no país em que a noiva e o noivo irão morar, "é o lado brasileiro, nós amamos flores, lá elas estão todos os lugares", disse a Princesa Eleonora.

Um órgão que tem visto cinco gerações

Naquele momento, algumas notas musicais enfatizaram a solenidade do lugar. Etienne Delmotte, construtor de órgãos em Tournai, acaba de colocar seus dedos no teclado "este órgão foi construído pelo meu bisavô, provavelmente no final do século 19, início do século 20, e ainda se mantem. Para cada ocasião importante, deve ser afinado, porque a afinação do instrumento é muito sensível a vários fatores, tais como temperatura e umidade, nu, equilíbrio relativamente delicado, facilmente pode dar errado, mas é necessário dar ao instrumento a sua exatidão e brilho".


Neste sábado, o Bispo Harpigny será capaz de acolher os recém-casados em um casamento impecável.

Ao longo dos corredores laterais da igreja foram instalados suportes encimados por grandes e harmoniosos vasos cheios de flores  
© Vinciane Votron

Um canteiro de flores na igreja de Beloeil
© Vinciane Votron

A igreja em Beloeil onde o casamento será celebrado
© Vinciane Votron

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Mariage princier au château de Belœil

Por NordEClair.be, em 16 de junho de 2016 
Com tradução do Blog Monarquia Já 


Casamento Principesco no Castelo de Beloeil

Neste sábado, a Princesa Alix de Ligne, filha mais velha do Príncipe Michael, se casará com Guillaume de Dampierre e é, evidente, que em Beloeil, casa da noiva, que este casamento será realizada, na Igreja de São Pedro. A cerimônia será celebrada pelo Bispo Guy Harpigny.

Um casal ideal para as revistas
Reprodução B.L./B.

O casal de noivos ...

Será neste final, em Belœil, a celebração que vai casar a jovem Princesa Alix de Ligne com seu "Príncipe" encantado, o Conde Guillaume de Dampierre. Um casamento digno de contos de fadas entre estes dois jovens bonitas e de famílias nobres, que se encontraram na outra extremidade do mundo, o Brasil... mas escolheu Beloeil e o seu Castelo para unir os seus destinos.

Todos poderão, em seguida, ir a pé para a propriedade dos Príncipes de Ligne, onde a recepção será no esplêndido Castelo e seus jardins, fechado ao público até 23 de junho "por razões privadas", conforme se pode ler no site do local.

Poderão ver os vestidos bonitos dos convidados no casamento – sabe-se, apenas, que o vestido da noiva será do estilista belga Gerald Watelet. O público irá se instalar na rue du Château de Beloeil, que contará com o trabalho de segurança, graças ao serviço local. Barreiras serão instaladas na sexta-feira à noite para permitir a passagem dos convidados da igreja para os jardins do Castelo e oferecer aos espectadores do espetáculo o sorriso de felicidade de uma família ... uma família da nobreza é claro, mas muito integrada à sua cidade natal. A pedido dos Príncipes, de fato, as bandeiras de Belœil já adornam as fachadas da rua principal, lembrando como Michael e sua esposa, Eleonora de Ligne, os pais da noiva, e também a filha, Alix, amam sua cidade e contribuem para a sua influência.

Monsenhor Harpigny, Bispo de Tournai, celebrará o casamento da Princesa Alix de Ligne com o Conde Guillaume de Dampierre

Monsenhor Harpigny
Imagem: http://www.rectorsaintanne.com/


O celebrante do casamento da Princesa Alix de Ligne com o Conde Guillaume de Dampierre será Sua Excelência Reverendíssima, o Monsenhor Guy Harpigny.

O Monsenhor Guy Harpigny é o 100º Bispo da Diocese de Tournai, circuncisão eclesiástica a que pertence o Castelo de Beloeil. Foi nomeado Bispo pelo Papa São João Paulo II e sagrado pelas mãos do Cardeal Godfried Danneels, em 2003.


Seu lema é "Consagra-os na verdade" ( João 17:17). 

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Casamento da Princesa Alix de Ligne: Genealogia e árvore de costados do Conde Guillaume de Dampierre

A notícia do noivado e do casamento da Princesa Alix de Ligne com o Conde Guillaume de Dampierre, tem chamado a atenção da mídia brasileira e da mídia europeia. Membros de Casas reconhecidas e importantes para a história e desenvolvimento de seus países, a Princesa e o Conde casarão em 18 de junho de 2016, na capela do Castelo de Beloeil.

Para explicitar aos leitores, o Blog Monarquia Já, depois de breves considerações acerca dos antepassados da Princesa Alix, divulga, com exclusividade, um estudo genealógico sobre a família do noivo, elaborado por Sua Excelência Reverendíssima, Dom José Palmeiro Mendes, OSB. Acompanhe:
Durante o casamento da Princesa Dona Amélia com o Sr. Alexandre James Spearman, no Rio de Janeiro, a Princesa Alix e o Conde Guillaume de Dampierre em fotografia com a Princesa Maria Laura da Bélgica 
Imagem: divulgação


A Princesa Alix nasceu em Bruxelas a 3 de julho de 1984 e foi batizada com o nome de Alix Marie Isabelle Adelgonde Eléonore de Ligne et Orleans e Bragança, sendo a primeira filha  do Príncipe Michel, 14º Príncipe Titular de Ligne (1951) e da Princesa Dona Eleonora de Orleans e Bragança (1953). É a 9ª na linha de sucessão ao Trono Imperial do Brasil. 


Os Príncipes de Ligne com seus filhos
Imagem: arquivo Imperial & Real


Através de seu pai, o Príncipe Michel, a Princesa Alix descende também das mais antigas e ilustres Casas Reais e Principescas europeias. É neta de Antione (1925-2005), 13º Príncipe Titular de Ligne, de Épinoy, de Amblise, e da Princesa Alix (1929), nascida Princesa de Luxemburgo, Nassau e Parma, irmã do Grão-Duque Jean de Luxemburgo (1921) e tia do atual Soberano luxemburguês, o Grão-Duque Henri (1955). Os Príncipes de Ligne, da Bélgica, se destacaram como diplomatas, articuladores políticos e como importantes figuras da sociedade, recebendo a distinção do Sacro Império Romano Germânico, ainda no século XVI. Atualmente figuram como a segunda família mais importante da Bélgica, abaixo apenas da família reinante.

Pela mãe, a Princesa Alix é neta do Príncipe Dom Pedro Henrique (1909-1981), Chefe da Casa Imperial do Brasil de 1922 a 1981, e da Princesa Dona Maria (1914-2011), nascida Princesa da Baviera. De tal forma, é bisneta do Príncipe Dom Luiz (1878-1920), o Príncipe Perfeito, trineta da Princesa Dona Isabel (1846-1921), a Redentora, tetraneta do Imperador Dom Pedro II (1825-1891), o Magnânimo, e pentaneta do Imperador Dom Pedro I (1798-1834), fundador do Império do Brasil e Rei de Portugal. É sobrinha do atual Chefe da Casa Imperial do Brasil, S.A.I.R., o Príncipe Dom Luiz (1938), e do Príncipe Imperial, S.A.I.R., o Príncipe Dom Bertrand (1941). A Família Imperial do Brasil deriva das mais antigas Casas Reais europeias e a Princesa Alix é, portanto, descendente, em linha direta, dos Grandes Reis e Construtores da Europa, tais como Carlos Magno (742 d.C.-814 d.C.), Hugo Capeto (940 d.C.- 996 d.C.), Fernando I de Leão e Castela (1016-1065), Guilherme I da Inglaterra (1028-1087) e Dom Afonso Henriques (1109-1185).


O Príncipe Michel, a Pincesa Alix e a Princesa Dona Eleonora recebem a Princesa Claire no Castelo de Beloeil, por ocasião do festival das flores Amaryllis 
Imagem: Château de Beloeil


A união de seus pais, que são primos (compartilhando o Rei Dom João VI como antepassado) fez com que a Princesa Alix reforçasse seus laços de parentescos com todas as Famílias Reais da Europa. Tem um irmão, o Príncipe Henri, nascido em 1989 e que sucederá o pai como 15º Príncipe Titular de Ligne.

A Princesa Alix em 2009
Imagem: divulgação 
A Princesa Alix foi criada no Castelo de Beloeil, propriedade de sua família desde o ano 1394, em Hainut, distante a 65 km da capital Bruxelas. Foi educada em internatos e formou-se em Administração na Escola de Negócios de Solvay. Como complemento de seus estudos, foi ao Japão, onde realizou um intercâmbio na Universidade de Waseda. Em 2009, seguindo seu talento e sua preferência, concluiu o curso de Classificação de Diamantes do Instituto Gemológico das Américas, nos Estados Unidos. Trabalhou na joalheira francesa Start Up e atualmente é gerente de Marketing da joalheira brasileira H. Stern. A Princesa Alix é fluente em francês, português e inglês e entende bem o holandês e o japonês. Atualmente reside no Rio de Janeiro, no bairro do Leblon.     
   
Entre os anos de 2006 e 2009, foi eleita, por revistas especializadas, como a Princesa mais bela da Europa.

O Conde Guillaume de Dampierre
Imagem: divulgação 
O noivo, Conde Guillaume Aymar Emmanuel de Dampierre, nasceu em 4 de maio de 1985, em Paris, e é filho do Conde Audoin de Dampierre e da Condessa Roselyne, nascida Alvar de Biaudos de Castéja. Tem duas irmãs, mais velhas, Géraldine e Laure. Criado no Castelo de Plassac, propirdade de sua família desde o século XVIII, em Cognac, o Conde Guillaume estudou em Reims e posteriormente na Universidade de Karlsruche, na Alemanha, onde se graduou em Engenharia Mecânica, posteriormente se formou em Administração de Empresas na ESPC Europe. Trabalhou com Gestão Estratégica na empresa Peugeot Citroën. Residindo no Brasil há quase 8 meses, trabalha como consultor financeiro da McKinsey & Company. É fluente em francês, inglês, alemão e aprende com facilidade o português, idioma falado na terra onde decidiu viver e compor sua família, o Brasil.


Champagne Comte de Dampierre
Imagem: divulgação 


Além do respeitado título, na França, a família do Conde Guillaume tem prestigio internacional pelo trabalho desenvolvido com competência e grande nível de qualidade através da marca Champagne Comte de Dampierre, que representa excelência neste seguimento.

Conforme aponta a genealogia disposta no “Blog Monarquia Já”, a Princesa Alix e o Conde Guillaume são primos por diversas vezes, no entanto, aponta a revista “Point de Vue” que o ancestral em comum que merece mais relevo é o grande Rei e Santo Luís IX da França. A ascendência do Conde é também muito prestigiosa. A Casa dos Condes de Dampierre pertence à Nobreza Francesa e tem suas origens no século XII. Por sua mãe, o Conde Guillaume descende dos Condes de Castejá, família que recebeu o título ainda no século XIX, na França.


GENEALOGIA
E ÁRVORE DE COSTADOS
DO CONDE GUILLAUME DE DAMPIERRE

Por Dom José Palmeiro Mendes, OSB



CASA DE DAMPIERRE
        
Família originária da Picardia, de antiga extração (1405), que faz remontar sua origem a Guillaume de Dampierre, cavaleiro, cruzado em 1203, e cuja filiação provada inicia com Adrien de Dampierre, senhor de Sainte Agathe, Millancourt, etc, que casou em 1525 com Isabeau Bernard. Reconhecida nobre a 21.5. 1667, 15.6.1700, depois na Martinica a 9.11.1728. Barão-par hereditário sob a condição da criação de um majorato (não realizado) 5.11.1827, em favor de Aymar, intitulando marquês de Dampierre-Millancourt (1787-1845) casado com Charlotte d´Abadie de Saint-Germain (1789-1837).

Picardia, depois Martinica, depois Saintonge. Antiga extração remontando a 1405. Reconhecimentos da nobreza em 1667 e em 1700. Admissão na Escola de Madame de Maintenon em Saint Cyr em 1707. Barão e Par de França hereditários em 1827. Associação da Nobreza Francesa em 1938.

OUTRAS FAMILIAS NA ASCENDÊNCIA DO 
CONDE GUILLAUME DE DAMPIERRE

Bauffremont

Liébaut, sire de Bauffremont, aparece em 1090. O imperador Francisco I conferiu em 1757 o título de Príncipe do Santo Império Romano a Louis de Bauffremont para ele e os primogênitos e descendentes de um e outro sexo nascidos de casamentos legítimos, substituindo sua casa a de Gorrevod, que possuía este diploma principesco desde 1623. O Imperador lhe concedeu ao mesmo tempo o título de “Primo”, honra que lhe foi também concedida pelo Rei de França em 1759. Três membros desta família foi admitidos nas honras da corte. Luis XVIII, em 1814, chamou o chefe da casa de Bauffremont ao pairiado, e ligou a esta criação o título de Duque, por decreto de 1817.

Os Sires de Bauffremont dividiu-se no século XIV em duas linhas principais, entre os descendentes de Liébaut II, marechal da Borgonha, que Roberto II, Duque de Borgonha, qualificou de “seu caro Primo” no testamento de março de 1297, pelo qual o nomeou tutor de seus filhos. O ramo mais velho extinguiu-se em 1473. O ramo mais moço, que subsiste hoje, na posteridade de Louis de Bauffremont, cavaleiro do Tosão de Ouro, casado em 1712 com Hélène de Courtenay, última herdeira da linha direta e legítima de Pierre de França, sétimo filho do rei Luis VI, o Gordo (+ 1137). Alexandre, Duque de Bauffremont e par de França (+ 1833) era filho do príncipe Joseph e neto do acima citado Lousi de Bauffremont, sendo assim, por sua avó, descendente da Casa Real de França. Seu filho foi Théodore, 7º Duque de Bauffremont, Príncipe de Courtenay (1793-1853). Sua filha, Félicie, é tetravó do conde Guillaume de Dampierre.

Bésiade d´Avaray

A família Bésiade é originária do Béarn e é atestad desde o século XII. O nome d´Avaray provém de um pequeno senhorio do Orléanais, e foi acrescentado ao de Bésiade no início do século XVII. O título de duque d´Avaray foi criado em 1799 pelo governo real no exílio de Luis XVIII, por ereção em ducado-pairiado  do condado em favor de Antoine Louis François Bésiade, 1759-1811, que tinha ido mestre do guarda-roupa de Monsieur e tinha organizado a evasão do irmão de Luis XVI do Petit-Luxembourg. O título foi confirmado pelo rei em 1817, que porém, autorizou a reversão do referido título em favor de Claude Antoine de Bésiade, 1740-1829, marquês d´Avaray (ele, portanto, foi o 2º duque) e pai do 1º duque. Chamado a sentar-se na Câmara dos Pares em 1815, o marquês foi feito duque e par hereditário em 1817. O neto do referido 2º duque foi o 4º duque d´Avaray, sendo 5º avô do conde Guillaume de Dampierre.

Bourbon Busset

Ramo natural da ilustre Casa de França, vinda de Louis de Bourbon, Príncipe de Liège, filho de Charles, Duque de Borbon e d´Auvergne. Título de Conde de Busset por Cartas de 1586 e primo do Rei em 1761. Honras da corte, par de França em 1823 e barão-par em 1824.

Caraman (Riquet de Caraman)

Pierre Paul Riquet (+ 1680), foi  um rico burguês de Béziers, na França, que concebeu e executou o projeto do canal do Languedoc, um dos trabalhos mais extraordinários e mais úteis do reino de Luis XIV. A ele consagrou toda a sua fortuna. O Rei lhe concedeu em 1666, as Cartas de nobreza com a ereção do canal do Languedoc em “feudo nobre”, dependente imediatamente da Coroa. Foi reconhecido em sua nobreza por julgamento de 1668, que faz remontar sua ascendência a Jacques Riquet, que vivia em 1412. O mais moço, Pierre Paul Riquet, tenente-general dos exércitos do Rei, comprou do marquês de Sourdis, o condado de Caraman, antigo baronato feudal. Morreu solteiro em 1730. Seu irmão mais velho, Jean Mathias Riquet foi o pai de Victor Pierre François Riquet, marquês de Caraman (+ 1760), tenente general do exército do Rei, que casou com uma filha do primeiro presidente do parlamento de Paris. Seu filho Victor Maurice, conde de Caraman (+ 1807) casou com Marie Anne d´Alsace de Hennin-Liétard, princesa de Chimay e do Santo Império. Seus três filhos foram a origem dos três ramos da família. O mais velho, Victor Louis Charles de Riquet, foi marquês e depois (por concessão, em 1827,  do rei Carlos X) duque de Caraman (1762-1839), casado com Josephine Ghislaine de Merode-Westerloo (1765-1824), sendo os avós de Marie Victorine, tetravó do conde Guillaume de Dampierre. O citado Victor Louis Charles, desempenhou durante a imigração diversas missões importantes para o Rei e os Príncipes franceses na Alemanha e na Rússia. Após a Restauração foi embaixador da França em Berlim e depois em Viena.

Biaudos de Castéja   

A Casa de Biaudos é uma casa cavalheiresca  conhecida desde meados do sec. XI, com vários de seus membros tendo posição de destaque: cavaleiros cruzados, eclesiásticos, titulares de senhorios. A filiação seguida começa tradicionalmente com Georges, senhor de Biaudos, nascido cerca de 1450, mas estudos mais recentes mostram que a filiação pode ser seguida desde Gui, cavaleiro cruzado, mencionado em 1249 e falecido em 1252.


Jean, escudeiro, senhor de Laharie, homem de armas da companhia do senhor de Poyanne, nascido cerca de 1555,  foi o pai de Jean, escudeiro, senhor de Casteja e Mezos, barão de Laharie e Bezos, coronel no regimento de Poyanne, nascido cerca de 1585, tendo casado em 1619 com Arnaude Armande, marquesa de Castéja, filha de Jean de Bédorède. Teve ele numerosos filhos, entre os quais Jean, marquês de Castéja, barão de Tréveray, Saint-Joire, Laneuville, etc, governador de Toul e de Toulois (c. 1630-1718), pai de Jean François, marquês de Casteja, marechal de campo (1679-1740), pai, por sua vez, de Charles Louis, conde de Casteja (1683-1755), governador de Saint-Dizier, embaixador na Suécia, marechal de campo, governador de Toul. A família, porém, irá ter continuidade com o filho mais moço do acima citado Jean (nascido cerca de 1585), Fiacre, conde de Castéja, nascido em 1641, brigadeiro dos exércitos do rei. Seu neto foi  René François, marquês de Castéja, senhor de Coulongues (1705-1741), primeiro gentil-homem da Câmara do Rei da Polônia, governador de Mariambourg, depois de Mauberge, que trocará por Saint-Dizier. É ele 7º avô do conde Guillaume de Dampierre. A partir dele constam constam na árvore de costados, abaixo, os diversos Biaudos de Casteja. Remi Léon, marquês de Casteja (1822-1899), tetravô do conde Guillaume (cf. nº 48) é o último da família, tendo adotado o seu filho natural, Emmanuel Alvar, trisavô do conde Guillaume (cf. nº 24). Com este a família passa a chamar-se d´Alvar de Biaudos de Castéja. 

Espeuilles

Família enobrecida em 1702. Antonin de Viel de Lunas, marquês d´Espeuilles, grande-oficial da Legião de Honra, senador, general de divisão.

Gontault-Biron

Família cavalheiresca, sua origem remontando a 1124. Reconhecida nobre em 1667. Honras da corte, 1738 e 1786. Charles de Gontault, 1562-1602, marechal de França e almirante de França, companheiro e amigo e Henrique IV. O rei Luis XV erigiu novamente o baronato de Biron em ducado pairado, por cartas patentes de 1723. Título de conde do Império em 1810, par de França hereditário em 1815 e marquês-par hereditário em 1817, confirmado por cartas patentes de 1818.

Gouvion Saint-Cyr

Laurent Gouvion Saint-Cyr, 1746-1830, general em 1794, embaixador na Espanha em 1804, marechal de França em 1812, ministro da guerra em 1815. Conde Gouvion Saint-Cyr e do Império em 1808. Grão-cruz da Legião de Honra, marquês-par de França em 1817, pai de Laurent-François, marquês de Gouvion Saint-Cyr, par de França em 1841.

Kergorlay

Família cavalheiresca, datando de 1380, reconhecida nobre em 1671. Alain, Conde de Kergolay, 1715-1787, tenente-general dos Exércitos do Rei, pai de Gabriel Louis, Conde de Kergolay, 1765-1830, par de França em 1827, deputado. Louis Florian de
Kergolay, irmão mais moço de Gabriel Louis, barão par de França, 1826.

Kerret (Kerret de Quillien?)

Família de antiga extração, aparecendo em 1290. Reconhecimento da nobreza em 1669. Alexandre, conde de Kerret, 1802-1875, pai de Alexandre Hughes, conde de Kerret, casado  em 1876 com Marie Sophie de Brosses, que continuou a família.

Mailly

Uma das mais antigas famílias da nobreza da França, hoje extinta, a qual aparece no sec. X.  O primeiro citado da família é Teodorico, conde de Mâcon e d´Autun, pai de Aymar, conde de Dijon e avô de Wautier (ou Gautier), conde de Dijon (+ 970). A posteridade destes primeiros Mailly é incerta. A genealogia segura começa com Anselmo, pai de Wautier (Gautier, alias Gobert), + 1181, cavaleiro, senhor de Mailly e avô de Nicolas (+ 1212), cavaleiro, senhor de Mailly, cruzado com o rei Luis VII, deputado dos cruzados junto ao Papa e na Europa Ocidental para socorrer o Estado Latino de Jerusalém. Gilles II (+ antes de 1299) é a origem dos vários ramos da família. O ramo de Nesle, marqueses de Nesle, aparece no sec. XVII. Os condes de Mailly,  marqueses d´Harcourt aparecem no sec. XVI. Recebem honras da corte em 1729 e 1786. Louis de Mailly, marquês de Nesle, príncipe de Orange em 1706.  A este ramo pertence Joseph Augustin, defensor do Palácio das Tulherias, guilhotinado em 1794, que é 6º avô do conde Guillaume de Dampierre.

Perusse des Cars

Ilustre família francesa, que remonta sua filiação a 1027 e o senhorio des Cars, adquirido em 1300 foi erigido em condado em 1561. Jean François de Pérusse, tenente-general, criado duque des Cars em 1816, morreu sem posteridade em 1822. Louis Nicolas de Pérusse des Cars teve por filho François Nicolas René de Pérusse, cavaleiro, depois conde des Cars, nascido em 1759, gentil-homem de honra, depois capitão das guardas do conde d´Artois, foi criado Par de França em 1815, e no mesmo ano governador de uma divisão militar, e cavaleiro das Ordens do Rei em 1820. O conde des Cars morreu em 1822, deixando um filho, Amadée de Pérusse, 1790-1868,  visconde, conde, depois duque des Cars, coronel em 1815. Comandou um corpo de voluntários que teve algumas vitórias durante os Cem Dias e  foi nomeado marechal de campo no campo de batalha. Ele herdou o pairado de seu pai, ao qual foi ligado hereditariamente o título de duque, 1825. Duque Par hereditário em 1830, mas as cartas patentes, preparadas em julho, não puderam ser seladas por causa da queda dos Bourbons. Recusou prestar juramento a Luis Filipe neste mesmo ano e retirou seu pedido de cartas patentes.

Rohan-Chabot


Antiga casa feudal francesa, que aparece em 1040 na pessoa de Guillaume Chabot, a partir do qual se estabelece a linhagem. Senhor de La Grève; Barão e Conde de Jarnac, 1550 e 1614; Duque de Rohan após o casamento  de Henri Chabot, Senhor de Saint Aulaye com Marguerite de Rohan, herdeira de Henri, Duque de Rohan, Príncipe de Léon, Conde de Porhoet, 1648, título confirmado em 1704; Primo do Rei, confirmado em 1764; Duque de Chabot, 1775; Conde do Império, 1810; Par de França, 1814; Duque hereditário e Par de França, 1817.

ÁRVORE DE COSTADOS

Conde Guillaume de Dampierre, 1985
X
Alix, Princesa de Ligne, 1985

Pais


O Conde Audoin e uma de suas filhas
Imagem: divulgalção 


Conde Audoin de Dampierre, 1945
Fundador da Champagne Conde de Dampierre. Reside no Castelo de Plassac, Departamento de Charente Maritime.
X
Roselyne Alvar de Biaudos de Castéja, 1951

Avós

Conde Eric de Dampierre. 1910-1976
X
Elyane de Gontaut-Biron. 1913-1986

Jean-Emmanuel Alvar de Biaudos de Castéja, 1916-2012
Diplomata, foi chefe do Protocolo da República Francesa (1976), ou seja, encarregado do protocolo no Ministério das Relações Exteriores e no Palácio do Presidente da República e depois embaixador da França no Chile (1978)
X
Marie de Moustier, 1923-

Bisavós

Conde Guy de Dampierre, 1880-1967
X
Solange de Gouvion Saint-Cyr, 1886-1963

Conde Roger de Gontaut-Biron, 1884-1944
Historiador, poeta, publicou vários livros.
X
Gabrielle de Bourbon-Busset, 1893-1984
irmã de Madaleine, duquesa de Parma, esposa de Xavier, Duque de Parma.


A Duquesa e o Duque de Parma e a Princesa Maria das Neves
Imagem: divulgação 


Marie Emmanuel Rémy Alvar de Biaudos de Castéja, 1880-1915
X
Jeanne Marie Claude de Kergorlay, 1888-1975

Conde Gérard de Moustier, 1887-1980
X
Marie Thérèse de Viel de Lunas d´Espeuilles, 1901-2004

Trisavós

Conde Eric de Dampierre, 1851-1927
Militar, foi chefe do estado maior do general comandante do 3º corpo do exército em 1914.
X
Jeanne  Basset de Châteaubourg, 1854-1922

Maurice Joseph, marquês de Gouvion Saint-Cyr, 1856-1933
X
Marie Boisseau, 1861-1949

Conde Stanislas de Gontaut-Biron, 1854-1898
X
Jacqueline de Mailly-Chalon, 1858-1934

Marie Louis Gabriel “Georges” de Bourbon-Busset, conde de Lignières, 1860-1932
X
Marie Josephine “Jeanne” de Kerret de Quillien, 1866-1958

Marie Emanuel dito Manitou Alvar de Biaudos de Castejá, nascido Emanuel Alvar, 1849-1911
Filho adotivo, na verdade filho natural do marquês Rémy Leon [cf. 48].
X
25.   Gabrielle de Faret de Fournes, 1853-1937
26. Conde Anne Marie Florian Jean de Kergorlay, 1860-1923
X
27.  Maria Louisa Carroll, 1859-1931
28. Conde Edouard de Moustier, 1853-1940
X
29. Octavie de Curel, 1859-1912

30. Adrien de Viel de Lunas d´Espeuilles, visconde d´Espeuilles, 1874-1929
X
31. Marie Thérèse Françoise de Pérusse des Cars, 1874-1928

Tetravós

32. Jean Baptiste Élie, 5º marquês de Dampierre, 1813-1896
Rico proprietário, que enriqueceu ainda mais com seu casamento com Henriette Luise Sophie Barthélemy, foi homem político. Apresentou-se nas eleições de 1836, 1842 et 1846 como candidato da oposição ao mesmo tempo realista e liberal, mas não foi eleito. Mais tarde apoiou o governo presidencial de Louis-Napoléon Bonaparte. Desempenhou um papel na preparação da restauração monárquica de 1871-1872 e contribuiu para a queda do governo  Thiers em 1873, e sustentou a politica do duque de Broglie.  Batido nas eleições legislativas de 20 février 1876, consagrou-se à agricultura e foi presidente da Sociedade dos Agricultores da França, de 1878 à sua morte. le 9 février 1896.

Elie de Dampierre teve quatro filhos. O mais velho, Anicet-Marie-Aymar (1844-1876), engajou-se muito jovem no exército pontifício ao lado do visconde de Curzay e de seu primo irmão o conde de Lastours. Ele é a origem do ramo mais velho da família, dos marqueses de Dampierre. Outro filho do 4º marquês de Dampierre, Henri de Dampierre, é o bisavô de Emmanuelle de Dampierre, 1913-2012, esposa do Dom Jaime, infante de Espanha, duque de Segóvia.
X
33. Françoise Henriette Barthelemy, 1813-1894.
34. Camille Basset de Châteaubourg, 1812-1857
Auditor no Conselho de Estado, mestre de cerimônias do imperador Napoleão III, introdutor dos embaixadores, prefeito de Villeneuve sur Yonne.
35. Marie Louise Vallin (n. 1819)
36. Laurent François, marquês de Gouvin Saint Cyr, 1815-1904.
X
37. Marie Adélaide Bachasson de Montalivet, 1828-1881.

38.  Charles Félix Boisseau, 1827-...
X
39.  Clementine Euphrasie Jullien, 1833-....

40. Louis Armand de  Gontaut-Biron, marquês de Gontaut Saint Blancard, 1813-1897
X
41. Princesa Félicie de Bauffremont Courtenay, 1820-1912.

42.  Conde Anselme René de Mailly-Chalon, 1827-1870.
X
43.  Valentine Renée de Maupeou, n. depois de 1827
44.  Marie Louis “Henry” de Bourbon-Busset, conde de Lignières, 1826-1902.
X
45.  “Adrienne” Stanislas Léontine de Mailly-Nesle, 1831-1901.

46. René de Kerret de Quillien, visconde de Kerret de Quillien, 1835-1898.
De uma das mais velhas famílias da Bretanha, com nobreza confirmada em 1669. Bom cristão, muito caridoso.
X
47.  Marie Léonie Gautier, c. 1843-1878

48. Rémy Léon de Biaudos de Castejá, marquês de Castejá, 1805-1899
Rémi Léon, nascido em Paris em 1822 ( ?), usará o nome de Biaudos-Scarisbrick após seu casamento com  Eliza Hunloke, herdeira  de Scarisbrick Hall, filha de Sir Thomas Hunloke e de lady Ann Scarisbrick, de que não terá senão um filho, que morreu bebê.  O casal  adotará [Marie-Emmanuel ALVAR, dito Manitou, filho natural de Rémi Léon, nascido de uma  demoiselle Alvarez, e que usará o nome d’Alvair de Biaudos de Castejá.

49.  Mercedes Alvares, aliás Charlotte Hunloke
Era filha biológica do duque de Devonshire [98]. Sua meia irmã (só por parte de mãe) Elisa Hunloke, era a esposa de Remy Leon.

50.  Arthur Henri de Faret de Fournès, marquês de Fournès 1823-1888.
X
51.  Marie Victorine Clotilde de Riquet de Caraman, 1824a-1898, filha de
Irmã de Clotilde, casada com Y. Legrand, a qual foi amante do escritor Guy de Maupassant e do futuro rei Eduardo VII da Inglaterra.

52. Conde Louis Gabriel César de Kergorlay, 1804-1880
Esteve envolvido na aventura da duquesa de Berry, em 1832. Foi parlamentar monarquista de 1871 a 1876.
X
53. Marthe Marie Mathilde de Johanne de La Carre de Saumry (Mathilde de Saumery Lacarre) 1825-1887
54.  John Lee Carroll, 1830-1911
Governador de Maryland, nos Estados Unidos.
X
55.  Anita Phelps, 1838-1873
56. Conde Auderic de Moustier, 1823-1888.
X
57.  Louise Marie Antonie de Besiade d´Avaray, 1825-1897.

58.  Albert de Curel.
X
59.  Joséphe de Wendel, 1832-1915.

60.  Marie Louis Albéric de Viel de Lunas d´Espeuilles (n. 1840).
X
61.  Marguerite Adrienne de Caulaincourt, 1850-

62. Louis de Pérusse des Cars, duque des Cars, 1849-1920
X
63.  Thérèse Lafond, 1852-1912.

Quinto avô

64. Elie Louis Aymar,4º marquês de Dampierre, 1787-1845
Partidário dos Bourbons após a queda de Napoleão, foi coronel chefe do estado-maior da guarda nacional em Lot-e- Garrone. Admitido na Câmara dos Pares em 1827 (Carlos X), quando também recebeu o título de barão,  demitiu-se três anos depois, para não prestar juramento a Luis Filipe. Esteve envolvido na expedição da duquesa de Berry em 1832-1833, prestando muita ajuda à princesa. Durante o cativeiro da duquesa, o marquês e a marquesa de Dampierre lhe serviram de agentes de transmissão de sua correspondência. Eles a acompanharam depois na Boêmia.
65. Julie Charlotte  d´Abadie de Saint Germain, 1789-1837
66. Anicet Barthélémy, 1758-1819.
Irmão de François Barthélémy, conde e depois marquês Barthélémy (concessão de Luis XVIII)
x
67. Thérèse Avoye Michel de Grilleau, 1777-1858
...........................
68. Anne Léonard Camile Basset de l, 1781-1852
X
69. Jeanne Louise Thibon, 1793-1823

70. Louis Vallin, barão Vallin e do Império (1809), depois visconde Vallin (1822), 1770-1854.
General francês da Revolução e do Império, pondo-se, na Restauração, a serviço do Rei. É uma das 660 personalidades que tem seu nome gravado no Arco do Triunfo.
X
71. Saubade Garet, 1769-1821.

72. Laurent Gouvion, conde do Império (1808), 1º marquês de Saint-Cyr (1817) (1764-1830)
Marechal do Império, político, foi após a Restauração ministro da Guerra e depois da Marinha e das Colônias. Seu nome está gravado no Arco do Triunfo.
X
73. Anne Gouvion, sua prima (1775-1844)

74. Camille Bachasson, conde de Montalivet, 1801-1880.
Homem de estado francês, par de França, amigo do rei Luis Filipe, de que foi executor testamentário. Foi várias vezes ministro sob a Monarquia de Julho. Está na descendência dele o presidente da França, Valery Giscard d´Estaing.
X
75. Clémentine Paillard-Ducléré.
..............................
80. Charles, marquês de Saint-Blancart de Gontaut-Biron, 1776-1840
X
81. Adelaide de Rohan-Chabot, 1793-1869
82. Théodore, príncipe de Bauffremont-Courtenay, 1793-1853.
X
83. Anne de Montmorency, 1802-1860
Tataraneta de James Fitzjames, duque de Fitz-James e quinta neta de Jaime II, rei da Inglaterra e de Arabella Churchill.

84. Adrien de Mailly, conde de Mailly, marquês d´Harcourt e de Nesle, príncipe de Orange (1792-1878)
Militar, tomou parte da campanha da Russia, combatendo em la Moskowa. Estava em Paris no momento da capitulação e da abdicação de Napoleão e saudou com entusiasmo a volta dos Bourbons. Foi ajudante de ordens dos duques de Berry e de Bordeaux. Na Segunda  Restauração, foi nomeado par de França e atingiu o posto de tenente-coronel. Recusou prestar juramento ao governo de Luis Filipe e  deixou de assentar-se na Câmara dos Pares. Cavaleiro de São Luis. Uma de suas filhas casou com Henri de Bourbon-Busset, conde de Lignières.
X
85. Eugénie-Henriette de Lonlay de Villepail (m. 1878)

86. Stanislas René de Maupeau (n. 1802)
X
87. Clémence Adelaide d´Hennezel

88. Eugène de Bourbon-Busset, conde de Lignières, 1799-1863
X
89. Ida Albertine de Calonne de Courtebonne, 1799-1828

90. Adrien de Mailly, marquês de Mailly, príncipe de Orange
X
91. Eugénie Henriette de Lonlay de Villepail
92. Charles, visconde de Kerret de Quillien
X
93. Marie Lefébvre de la Faluère.
........................................
96.  André, Comte de Castéja, depois marquês de Castéja (1822), 1780-1828
Oficial da Legião de Honra, comandante da Ordem imperial de Leopoldo da Áustria, deputado e prefeito por ocasião da segunda Restauração. Prefeito de Framerville, entrou no primeiro império na administração 1815. Na volta do Rei em 1814, a ele aderiu. Proferiu em Boulogne, a 10 de abril, um discurso que respira o realismo mais puro, notando-se estas palavras dirigidas a Luis XVIIII : « Sábio como vossos ancestrais, vós nos tornais felizes, como o foram nossos antepassados. Vai desempenhar o cargo de prefeito de várias localidades na França.

André tinha um irmão, Marie Jean François, Visconde de Castéja, oficial, eleito deputado em 1827 e 1830, casado com Caroline Antoinette de Bombelles, afilhada da rainha Maria Carolina de Napoles, filha de Marc-Marie, marquês de Bombelles, antigo marechal de campo, embaixador extraordinário da França em Portugal, bispo d’Amiens et primeiro capelão da duquesa de Berry. A viscondessa de Castéja foi nomeada em 1820, dama para acompanhar a duquesa de Berry.
X
Alexandrine Françoise de Pons-Renepont.

William Spencer, 6º duque de Devonshire, 1790-1859.

Anne Scarisbrick, 1788-1872

Esposa de Sir Thomas Windson Hunloke, 5º Baronete.

Alexandre de Faret de Fournès, 1787-1844
Seus avós maternos foram Charles François, duque de Broglie e Ludovica de Montmorency.
X
Heloise d´Hericy, 1798-1870.

Georges de Riquet de Caraman, 1790-1860
X
 Clarisse Marie Claire Duval de Grenonville.

Louis Florian Paul, conde de Kergorlay

X
Blanche de la Luzerne
.....................................
112. Clément Éduard de Moustier, marquês de Moustier, 1779-1830.
Deputado, par de França.
X
113. Marie Caroline Antoinette Laforest, 1788-1855.

114. Ange Éduard Théophile de Bésiade d´Avaray, duque d´Avaray, 1802-1887
X
115. Mathilde de Rochechoart de Mortemart, 1802-1887
Filha de Victurien Bonaventure de Rochechouart, marquês de Mortemart, irmão de Jean Baptiste de Rochechouart, duque de Mortemart, 1752-1812, de quem descende a princesa Dona Maria da Baviera de Orleans e Bragança, através de sua mãe, princesa de Croy. Guillaume e Alix, portanto, são primos em 8º grau.

116. Léonce de Curel, 1797-1863.
X
117. Marie Anne Lynamon, 1797-1863

118. Victor François de Wendel, 1807-1850.
Os Wendel constituem uma dinastia industrial francesa, no setor do aço, na Lorena, presente na indústria por três séculos.

O irmão de Victor François, Charles, 1809-1870, é o bisavô de Marguerite de Wendel (1907-1976), casada com seu primo o conde Emmanuel de Mitry. São os pais de Hélène de Mitry, 1927-2015, casada com François de Missoffe e avós de Françoise de Missoffe, 1948, política, esposa de Guy de Panafieu e mãe de Charlotte de Panafieu, que casou com Dom Afonso Carlos Tasso de Saxe-Coburgo e Bragança.
X
119. Marie Charlotte Octavie de Rosières.

120. Antoine Theodore de Viel de Lunas d´Espeuilles, marquês d´Espeuilles, 1803-1871.
X
121. Louise de Chateaubriand, 1816-1896

126. Étienne Lafond, conde romano
X
127. Marie Élise du Temple de Chevrigny
Sexto avô
128. Pierre-François, 1755-1813, 3º marquês de Dampierre.
Capitão do regimento de Foix e cavaleiros de São Luis, se fez representar em 1789 nas assembleias da nobreza realizada em Saintes
X
129. Madeleine-Célestine de Carbonneau.
140. Joseph Edmond Vallin, agente dos correios.
X
141. Marie Anne Labouret.
142. Barão Martin Garat, diretor geral do Banco de França.
144. Jean Baptista Gouvion, curtidor por profissão, primo distante do general do mesmo nome.
.........................
148. Jean Pierre Bachasson, conde de Montalivet, par de França, 1766-1823.
Foi ministro de Napoleão.
X
149. Adelaide Starot de Saint-Germain, 1769-1850
Presumida filha natural do rei Luis XV, era oficialmente filha do general Joseph Starot de Saint-Germain e de Cathérine Eleonore Bénard. Foi dama do Palácio das Imperatrizes Josefina e Maria Luisa.
160. Jean Armand de Gontaut-Biron (m. 1826)
X
161. Marie Josephine de Palerme, 1751-1830
162. Alexandre de Rohan-Chabot, 1761-1816
X
163. Anne de Montmorency, 1771-1828
...........................................
168. Joseph Augustin de Mailly, conde de Mailly, marquês d´Harcourt, etc (1708-1794)
Militar, chegou a marechal de França. Por ocasião da Revolução Francesa, recusou emigrar: a idéia de um rei abandonado em Paris, sem clero e sem nobreza, era para ele um absurdo. A 9 de agosto de 1792, sabendo dos perigos que cercam a Família Real no Palácio das Tulherias, vai até lá e o rei Luis XVI lhe confia o comando das tropas que defenderão o Palácio no dia seguinte. Quando do ataque dos revolucionários,  a defesa é vencida, mas ele escapa do massacre, recebendo ajuda para fugir.  defendeu o Palácio da Tulherias a 10 de agosto de 1792. Preso no ano seguinte, foi por fim guilhotinado. Contava 87 anos de idade. Antes da execução, grita: “Viva o Rei. Eu o digo como meus antepassados”.
X (3) ele contava na ocasião do casamento 70 anos e a noiva 15 anos
169. Blanche Charlotte de Narbonne-Pelet (1761-1840), filha de François Raymond Joseph de Narbonne-Pelet, visconde de Narbonne, tenente-general dos Exércitos do Rei e de Lucrèce-Pauline Marie Anne de Ricard.
170. Alexandre-François de Lonlay, marquês de Villepail
X
171. Anne-Marie de Trie.


Conde Stanislas Catherine de Castéja
Imagem: Maison Biaudos


192. Stanislas Catherine, conde de Castéja, 1738-
Fez carreira militar. Foi carregado na fonte batismal pelo antigo rei da Polônia, Estanislau Leczinski, então duque de Lorena, e por sua mulher, Catarina.
204. Victor Riquet de Caraman
X
205. Josephine Ghislaine de Merode-Westerloo.

210. César Henri Guillaume, Conde de la Luzerne, senhor de Beuzeville e de Rilly, barão de Chambron, 1732-1797
Tenente general dos exércitos, foi depois secretário de Estado da Marinha entre 1787 e 1790. Teve dois irmãos mais moços que se distinguiram : César Guillaume de La Luzerne, bispo-duque de Langres, que presidiu certo tempo a Assembléia constituinte de 1789 e Anne Céar de La Luzerne, dito o «cavaleiro de La Luzerne », 1741-1791, primeiro embaixador da França nos Estados Unidos e depois embaixador na Inglaterra.
X
211. Maria Adelaide Angram d´Alleray, 1743-1815
Filha de Denis François Angram d´Alleray,  condenado à guilhotina em 1794 por ter mandado dinheiro a seus filhos emigrados.  Ao juiz que o interrogava se não sabia que uma lei proibia esta ação, respondeu : « Não, mas eu conheço uma mais sagrada, a que ordena aos pais alimentarem seus filhos ».
Sétimos avós
256. Pierre IV de Dampierre, 1726-1756, escudeiro.
Voltou da Martinica a França, estabelecendo-se no Berry.
X

384. René François, 2º marquês de Castéja  (m. 1792)
Gentilhomem da câmara do rei da Polônia Estanislau Leczinski, ele não era homem rico. Mas com 15 anos foi designado herdeiro universal do conde Marie Ferdinand de Berlo de Frandouair, de uma poderosa família da nobeza belga, que se tinha tomado de afeição pelo jovem. É de seu benfeitor, falecido em 1763, que recebeu o senhorio de Vaux. Seguiu a carreira militar, chegando ao posto de marechal de campo. Foi cavaleiro de São Luis. A 10 de janeiro de 1779 em Versalhes, o rei e a família real deram seu consentimento para o seu casamento com Marie Elisabeth Françoise Desfriches Doria, rica herdeira de nobres da Picardia, neta paterna do marquês Doria e por sua mãe do conde de Watteville, governador de Ham. Em 1779 o cavaleiro de Castéja tomou o título de conde, seu irmão mais velho Louis Anne Alexandre sucedendo a seu pai como marquês de Castéja.

GENEALOGIA DA CASA DE DAMPIERRE

Elie e Guillaume – são os primeiros Dampierre citados, habitando no bailiado de Arques, Seine-Maritime, em 1196.

Pierre (ou Gilles) de Dampierre, cavaleiro, com apanágio perto de Arques, sendo um dos signatários da capitulação consentida ao rei Filipe Augusto pelos burgueses de Ruão, em 1204. Depois participou da cruzada contra os albigenses e terminou seus dias no circulo do rei São Luis.

Alphonse de Dampierre. Casou com N. de Terremonde.

As gerações anteriores são confusas, genealogias apresentando filiações suspeitas. Alphonse seria filho de Pierre (ou Gilles) de Dampierre, cavaleiro, com apanágio perto de Arques e casado com Marie de Luxemburgo-Ligny [importante aliança matrimonial, que mostraria já o relevo da família] e neto de Guillaume de Dampierre, cruzado em 1205.
Jourdain, senhor de Dampierre e  Biville, ‘panetier’ do rei em 1405, ilustrou-se na defesa do Castelo de Moulineaux. Casou com Jeanne de Villiers de L´Isle-Adam, filha  de Robert de Villiers.

Hector, senhor de Dampierre e Fay, conselheiro e “maître d´hôtel” do rei Luis XI e senescal do Limousin.  Casou com Jeanne de Roye, filha de Gilles de Roye e Jeanne de Longueraye.

Gérard (Giraud) –Casou com Isabeau de Hauquettes.

Adrien, escudeiro, senhor de Santa Agathe  e La Forêt.. Os julgamentos de reconhecimento da nobreza dos séculos XVII e XVIII dão a filiação dos Dampierre só a partir dele. Casou em 1525 com Isabeau Bernard, filha de Geoffroy Bernard, escudeiro, tenente do bailiado de Caux no viscondado de Neufchâtel.

Guillaume, escudeiro, senhor de Sainte Agathe d´Aliermont. Casou em 1555 com Claude de Cazaux, filha de François de Cazaux, escudeiro, senhor de Saint-Germain e de Jacqueline de Cessors.

Pierre I, escudeiro, senhor de Santa Agathe. Casou em primeiras núpcias em1580 com Marie Picquet.

Pierre II. Casou em 1612 com Marguerite Jeanne Mitton.

Toussaint, senhor de Millancourt. Nasceu em 1622. Viveu nas Antilhas desde jovem.  Casou com Jeanne de la Caille.

Mathieu, senhor de Millancourt, 1666-1735. Viveu na Martinica. Reconhecido nobre em 1728. Capitão dos granadeiros do batalhão de Fort-Royal.  Casou em primeiras núpcias com Anne Mennegaud.

Pierre III de Dampierre   de Millancourt, 1691-1754. Casou em 1721 com Elisabeth de La Barre, 1706-1760.

Pierre IV, 1726-1756. [7º avô do conde Guillaume, ele e os abaixo citados figuram na árvore de costados que publicamos acima]

Pierre François, 3º marquês de Dampierre.

Elie Louis Aymard, 4º marquês de Dampierre, 1787-1845.

Jean Baptiste Elie, 5º marquês de Dampierre. 1813-1896.

Conde Eric 1851-1927.

Conde Guy, 1880-1967

Conde Eric, 1910-1976.

Conde Audoin, 1945.

Conde Guillaume, 1985.


Castelo de Plassac dos Conde de Dampierre
Imagem: Tourism Cognac


Bibliografia para a genealogia da Casa de Dampierre:

Para este trabalho nos servimos especialmente de numerosos verbetes genealógicos que se encontram na internet.

E dos livros:
Nicolas Enache, La descéndance de Marie-Thérèse de Habsburg Reine de Hongrie et de Bohême, Paris, 1996
Almanach de Gotha, vol. II, Londres, 2015, verbete San Lorenzo – marqueses de Dampierre, c. 1725
Annuaire de la Noblesse de France, vol. 92, 140º ano de publicação, s/d, Paris e Londres – casa cavalheiresca




O CASAMENTO

O casamento da Princesa Alix com o Conde Guillaume de Dampierre ocorrerá na capela de Saint Pierre do Castelo de Beloeil, com recepção ao convidados na mesma propriedade. De 13 a 22 de junho o Castelo não estará aberto a visitações, estando fechado para os preparativos do matrimônio.  



 

O Castelo de Beloeil em imagens externa e internas
Imagem: Château de Beloeil 


No mês de abril a Princesa Alix, acompanhada de seu noivo e dos primos, os Príncipes Dom Pedro Alberto e Dom Rafael, visitou seus tios, o Príncipe Dom Luiz, Chefe da Casa Imperial, e Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial, para apresentar o Conde Guillaume. O Príncipe Dom Bertrand comparecerá ao casamento, assim como os Príncipes Dom Antonio e Dona Christine, Dom Alberto e Dona Maritza, Dom Fernando e Dona Maria da Graça. São aguardados para o casamento representantes da Família Real da Bélgica, dos Grãos-Duques do Luxemburgo, da Família Real de Portugal, além das Famílias Principescas da Bélgica e da nobreza européia. 
  
O Conde Guillaume de Dampierre, o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança e a Princesa Alix de Ligne
Imagem: Pró Monarquia 

Dom Luiz recebe a Princesa Alix e o Conde Guillaume em sua residência. Dom Bertrand conversa com os sobrinhos
Imagem: Pró Monarquia 

ATENÇÃO


Em caso de cópia do material exposto: considerando a lei 9610/98, o plágio é crime. As obras literárias e fotográficas existentes neste espaço são de uso exclusivo do Blog Monarquia Já. Ao copiar qualquer artigo, texto, fotografia ou assemelhado, o Blog Monarquia Já deve, obrigatoriamente, ser citado.

Contador de visitas mundial


contador gratis

Contador de visitas diárias


contador gratis

  © Blogger template 'Isfahan' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP