domingo, 27 de março de 2016

Bandeira Imperial foi hasteada no Congresso Nacional: entrevista com o monarquista Vinícius Braceloti

Ele hasteou a bandeira imperial no mastro oficial do Congresso Nacional. O monarquista de 22 anos, Vinícius Braceloti Vilhena de Moura, protagonizou, em Brasília, este ato épico e simbólico durante as manifestações de 16 de março, que marcaram o repúdio popular à tentativa do governo da república em obstruir as investigações da Polícia e do Ministério Público Federal no combate a corrupção.

Vinícius Braceloti Vilhena de Moura com o 
Deputado Federal Paulo Eduardo Martins
Imagem: Arquivo pessoal de Vinícius Braceloti

  
Vinícius concedeu uma entrevista exclusiva ao Blog Monarquia Já, contando sobre sua ação. Acompanhe:
  
BMJ: Como surgiu a ideia de hastear a bandeira Imperial no mastro oficial do Congresso Nacional, em Brasília, durante as manifestações de 16 de março?

Vinícius Braceloti: Vou contar a história toda. Eu e meu amigo Matheus fomos às manifestações de domingo, 13/03, com a bandeira Imperial, onde encontramos vários monarquistas e pessoas que elogiaram e tiraram fotos com as bandeiras do Império. Em nosso grupo eram mais ou menos umas 10 pessoas e 4 bandeiras do Império, um casal de amigos estava com cartazes contra a república.

Monarquistas protestam em Brasília em 13 de março de 2016. Vinícius Braceloti aparece segurando a bandeira
Imagem: Arquivo pessoal de Vinícius Braceloti


Na quarta (16/03), depois que sai do meu estágio, quando cheguei em casa, por volta das 19h30min, o Matheus (amigo monarquista que acompanha nas manifestações) me mandou uma mensagem falando que o congresso estava cheio de manifestantes, disse que já estava a caminho pra irmos pra lá. Descemos a pé, com o Matheus liderando e chamando os carros para o Congresso. Eu, atrás, com a bandeira do Império ao vento, e nossos amigos nos seguindo. Pessoas pararam a gente pelo caminho para fazer vídeos de apoio para chamar as pessoas para rua e os carros buzinavam freneticamente com nosso convite. O gramado em frente ao Congresso estava lotado.

Os manifestantes tinham acabado de descer do Palácio do Planalto para o gramado do Congresso. Acabaram pegando a linha da polícia de surpresa, que ficou recuada na altura da rampa que sobe para teto do Congresso. Foi aí que eu vi o mastro. O mastro tinha um pixuleco enforcado. Tiramos o pixuleco e hasteamos a bandeira.

Assista ao vídeo 


BMJ: Por quanto tempo a bandeira esteve hasteada? Como a polícia reagiu a esta ação?

Vinícius Braceloti: Ela ficou tremulando até o final da manifestação.  Das 9h da noite até 1h da madrugada. O Sargento responsável disse que não a retirou a bandeira porque iria inflamar a manifestação se descerrasse.  A polícia retirou somente no final da manifestação. Não quiseram me devolver, tive que buscar na delegacia do Senado.  

Por 4 horas a bandeira Imperial tremula no céu de Brasília, colocada sobre o mastro oficial do Congresso Nacional
Imagem: divulgação   


BMJ: Houve alguma reação popular quando a bandeira tremulou lá no alto?

Vinícius Braceloti: Muitos apoiaram. O manifestante que enforcou o pixuleco tentou tirá-la, até me deu uma cotovelada na costela. Eu afastei minha namorada, para ele não nos agredir. Por um momento ele abaixou a bandeira do Império e levantou o pixuleco, mas ele retirou o boneco e pediu para erguer a bandeira Imperial de novo. E lá ela ficou. Me lembrou da queda do Império, após o golpe dos republicanos, mas agora, seguida da queda da república e nova ascensão do Império. E lá o Império ficou: altivo a tremular.

BMJ: Qual o significado de hastear a bandeira naquela ocasião e naquele local?

Vinícius Braceloti: Simboliza esperança. Quando a linha da polícia avançou e eu vi que ninguém ia tirar ela de lá, ficamos eu, Matheus e Madalena (namorada de Vinícius) sentados na grama, ao lado do Congresso, assistindo ela tremulando.

"E lá o Império ficou: altivo a tremular" afirma Vinícius Braceloti autor deste fato histórico
Imagem: divulgação


BMJ: Você é monarquista desde quando?

Vinícius Braceloti: Sou monarquista desde o final de 2014. Desde esta época, porque não sabia do nosso passado. Eu sempre senti que faltava algo. Foi através do Príncipe Dom Bertrand, o primeiro contato que tive com a Monarquia. Assisti a um vídeo de Dom Bertrand, no meio da roça, dando uma palestra sobre monarquia e sobre nosso passado. Aquilo me impactou, Ele era um Príncipe no meio do nada e mesmo assim dando total atenção pra pessoas humildes. Foi aí que tive curiosidade pra aprender. Depois eu comecei a ler a trilogia do Laurentino Gomes (1808, 1822, 1889). Li também a Declaração de Independência de Dom Pedro I e as cartas de despedida de Dom Pedro II com seu pai, recomendo pra todos que conheço.

Assista o vídeo do Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança em: https://www.youtube.com/watch?v=mltN0ZTgo1Y

BMJ: Hoje, como o Brasil pode sair dessa terrível crise?


Vinícius Braceloti: A Monarquia é a engrenagem, roubada em 1889, que falta para essa grande máquina, chamada Brasil, funcionar.

0 comentários :

ATENÇÃO


Em caso de cópia do material exposto: considerando a lei 9610/98, o plágio é crime. As obras literárias e fotográficas existentes neste espaço são de uso exclusivo do Blog Monarquia Já. Ao copiar qualquer artigo, texto, fotografia ou assemelhado, o Blog Monarquia Já deve, obrigatoriamente, ser citado.

Contador de visitas mundial


contador gratis

Contador de visitas diárias


contador gratis

  © Blogger template 'Isfahan' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP