domingo, 15 de setembro de 2013

Sessão solene na Assembleia marca os 160 anos da Polícia Civil paranaense

13/09/2013 - 19h10min

Por Agência de Notícias do Paraná



A Polícia Civil do Paraná completa no próximo dia 28 de setembro 160 anos e recebeu homenagem do Poder Legislativo, em sessão solene realizada no final da tarde desta sexta-feira (13). A sessão solene aconteceu no Plenário da Assembleia Legislativa, conforme proposição do deputado Ney Leprevost. O secretário estadual da Segurança Pública, Cid Vasques, e o delegado chefe da Polícia Civil, Riad Braga Farhat, participaram da solenidade. Sessenta policiais, que ocuparam diferentes cargos na instituição, receberam menções honrosas da Casa. 

“A Polícia Civil merece o reconhecimento da sociedade. A maioria absoluta dos policiais é correta. E hoje fazemos esta solenidade pelo seu aniversário de fundação, prestando homenagem aos valorosos policiais que servem à população”, disse Leprevost. “É uma forma deste Poder, de forma republicana, e de respeito às instituições, fazer as devidas honras à Polícia Civil”, afirmou ele.   

O secretário estadual da Segurança Pública, Cid Vasques, disse que a polícia vive um período de mudanças pontuais para aperfeiçoar os seus quadros e melhorar sua estrutura, para melhor e mais eficiente combate à criminalidade. 

“É uma satisfação participar desta solenidade. A Polícia Civil passa por um momento de transição, ajudando o governo e as demais forças de segurança na manutenção da tranquilidade da população. A homenagem da Assembleia é justa, porque é aqui que o povo do Paraná também representado e esta instituição merece este reconhecimento”, afirmou o secretário. 

O superintendente da Delegacia de Campo Largo, Marcos Antônio Gogola, morto recentemente em serviço, também foi lembrado, assim como a de outros policiais que perderam a vida no exercício da função. “São 160 anos de história, de luta e de serviços ao povo paranaense. Tenho o maior orgulho em fazer parte da Polícia Civil”, afirmou o delegado chefe da PC, Riad Braga Farhat. “E ainda a homenagem aos policiais que perderam a vida combatendo a criminalidade. A polícia atua 365 dias ao ano, de forma incansável, para prestar bons e relevantes serviços aos cidadãos”, disse Farhat.    

ACADEMIA DE LETRAS - Na sessão solene houve a instalação, simbólica, da Academia de Letras da Polícia Civil. Única no País, a Academia de Letras da Polícia Civil tem atualmente 27 membros. “Eles escreverem não só sobre temas ligados ao serviço policial, mas também literatura de uma maneira geral”, explicou o presidente da Academia, delegado Rogério Antonio Lopes, que também é titular da Divisão de Polícia do Interior (DPI). Lopes é autor de dois livros. Um sobre a teoria e prática da Polícia Judiciária e outro diz respeito à gestão no setor público.    

A ideia de criação é do escrivão aposentado José Mínero Bittencourt, membro da União da Polícia Civil e presidente de honra da Academia. “Nossos objetivos são difundir corretamente a língua portuguesa e promover intercâmbios com outras instituições como a nossa”, explicou.   

O príncipe Dom Bertrand de Orleans de Bragança, herdeiro de Dom Pedro II, responsável pela criação da Polícia civil no Brasil, participou da sessão solene. Ele também faz parte da Academia da Polícia Civil do Paraná.  
“Meus antepassados criaram a Polícia Civil. E ela mudou muito desde então, juntamente com a sociedade. Mas certamente não mudou suas tradições e seus princípios”, afirmou.
 

 




Homenagem aos 160 anos da Polícia Civil do Paraná 
Fotos: ALEP

0 comentários :

ATENÇÃO


Em caso de cópia do material exposto: considerando a lei 9610/98, o plágio é crime. As obras literárias e fotográficas existentes neste espaço são de uso exclusivo do Blog Monarquia Já. Ao copiar qualquer artigo, texto, fotografia ou assemelhado, o Blog Monarquia Já deve, obrigatoriamente, ser citado.

Contador de visitas mundial


contador gratis

Contador de visitas diárias


contador gratis

  © Blogger template 'Isfahan' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP