domingo, 8 de abril de 2012

Relembrando

Em 1993, depois de longos anos de injustiça republicana, o Deputado Cunha Bueno conseguiu a façanha histórica de reavivar a discussão entre os parlamentares sobre a forma de governo adotada.  Por que o Brasil era e continua sendo uma república, se esta forma de governo não foi a escolhida pelo povo? Os Deputados então decidiriam convocar um plebiscito para que o povo pudesse escolher entre Monarquia Parlamentarista, República Parlamentarista ou República Presidencialista.  

Depois de mais de 100 anos, a república queria se retratar. Era hora de manifestar-se democrática e justa. A ocasião era propícia. Depois de um século, quando todas as gerações remanescentes do Império já haviam desaparecido, restava apenas a história (mal contada pelos livros das escolas) para relembrar o verdadeiro Brasil. Depois de 100 anos, quando então todas as lembranças já se haviam acabado e tudo não passava de um conto, era hora da república aceitar os apelos feitos ao longo daqueles últimos 99 anos do regime golpista. Aos monarquistas, desde o início da república, havia sido negado o direito a propagar seus ideais através de movimentos organizados. Somente em 1988, quando votada a nova Constituição, a cláusula, chamada pétrea, foi extinta, dando direito “a livre expressão” dos monarquistas. 

Em 1993, ano escolhido para o plebiscito, a divulgação dos ideais monarquistas e as ações em prol do regime tinham apenas 5 anos. O plebiscito previsto para ocorrer no segundo semestre, foi antecipado para o primeiro. Disputas infundadas na Família Imperial foram alimentadas por pessoas de quem se esperava o contrário, desrespeitando os fundamentos básicos da Monarquia – respeito as tradições e as leis. Os parcos recursos dos monarquistas, notado, muito especialmente, através das propagandas televisivas e pelo marketing pouco moderno, contrastavam com o da república que tinha amplos meios de divulgação, vultosas quantias em dinheiro e poderosos mecanismos de persuasão.  

Rememorando este tempo, deixamos a fala de Dom Bertrand de Orleans e Bragança, o Príncipe Imperial do Brasil, em entrevista à Rádio Bandeirantes (basta clicar na imagem abaixo).
Clique na imagem e ouça as sempre sábias palavras do
Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança

1 comentários :

Gutembergh 25 de abril de 2012 00:05  

Muito bem colocado. Eu me lembro muito bem daquele dia: Votei na monarquia. Era a única e acertada decisão, depois de anos de injustiça...

ATENÇÃO


Em caso de cópia do material exposto: considerando a lei 9610/98, o plágio é crime. As obras literárias e fotográficas existentes neste espaço são de uso exclusivo do Blog Monarquia Já. Ao copiar qualquer artigo, texto, fotografia ou assemelhado, o Blog Monarquia Já deve, obrigatoriamente, ser citado.

Contador de visitas mundial


contador gratis

Contador de visitas diárias


contador gratis

  © Blogger template 'Isfahan' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP